sábado, 5 de setembro de 2009

Estado, espaço e acumulação na crise contemporânea

Este trabalho parte de uma questão posta pela realidade atual: a crise econômica mundial, percebida principalmente no que vem se denominando de financeirização da economia e, conjuntamente a esta crise, aquela do Estado nacional, ambas vistas na perspetiva mundial e, igualmente, na brasileira. Não há, no entanto, o objetivo aqui de se fazer um tratamento histórico ou puramente econômico do problema. Ao invés disso, o que se verá está mais próximo de um exercício teórico e analítico. Este se constitui, em primeiro lugar, de uma discussão aprofundada sobre os fundamentos da economia capitalista que, segundo se entende, são também os fundamentos da crise econômica atual. Em segundo lugar, para se refletir tanto sobre a crise econômica como sobre a política fazse uma reflexão sobre a produção do espaço e o papel do Estado no conjunto da sociedade capitalista. Em terceiro lugar, a conjunção entre o Estado e o capital se mostra identificável na análise do território nacional e seus fundamentos. Por último, o problema da crise atual é posto por meio de uma crítica à idéia de desterritorialização, crítica esta que leva à formulação da hipótese de uma territorialização abstrata, que seria característica da própria crise.

Palavras-chave: Acumulação. Capital. Crise. Espaço. Estado.

Autor: Murilo Medici Navarro da Cruz
Orientadora: Profª. Drª. Ana Fani Alessandri Carlos

Download

Um comentário:

Colpani disse...

O Rico está fazendo uma lavagem cerebral em você. Que fique a dica!

Hehehehehehe... Brincadeiras a parte, gostei deste espaço.

Abraços, Felipe Colpani.

UFSCar - Campus Sorocaba
Licenciatura em Geografia